sexta-feira, dezembro 15, 2006

Diálogos do Cotidiano

Eram 18h, estava com dois colegas da Universidade no carro indo rumo ao centro da cidade pegar umas transparências que meu marido tinha impresso pra mim. Para quem não conhece Teresina basta dizer que o centro da cidade é simplesmente caótico, às 18h então! Como diria o Caco Antibes, é a visão do inferno! Estacionei o carro em frente ao banco e recebi a encomenda. E agora para sair dali?
O banco encontra-se firmado numa esquina, pingando camelôs pelas bordas. A estas horas os camelôs estavam desmontando, era um vai-e-vém de carros de mão, carros, motos, bicicletas, e eu parada a quatro metros da esquina, num Santana, ligando a seta para passar. Mas inafortunadamente nenhum motorista apiedou-se de mim, e eu fiquei parada por uns bons minutos... Foi quando minha colega, num relance de sabedoria, falou:
- Se joga! Quando verem que é uma mulher dirigindo, um carro grande ainda por cima, todo mundo sai da frente!

Anhé? Tisc!

5 comentários:

Aline disse...

Que sábia decisão de sua amiga!!! Nesta hora, os "preconceitos" parecem úteis, né? ahahah bjs,

TÂNIA disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!BOM SABER!

Vera disse...

Se eu fizer isso na minha moto,me esmagam na hora!kkkkkkkkkk
Bjo

Ester disse...

hahahaha.... e não é q ela tem razão!!!

ps.: estou quase de volta...

Rebeca Duarte disse...

Pois é meninas... Já que existem os preconceitos melhor aproveitá-los de forma útil. rsrs
Beijos!