quarta-feira, setembro 20, 2006

Dos atributos e conseqüências da coragem

Eu tenho um professor que é uma pessoa que poderíamos chamar de caricata. É uma criatura que chama a atenção por onde passa. Não pela forma de vestir, mas pela forma de agir, gesticular e falar. Porém ele demonstra bastante conhecimento na área dele.
Dia desses no meio da aula recebi um bilhetinho que já tinha passado por toda a classe, e o bilhete dizia: Quem acha que o professor está apaixonado pela L*** marque um "X". E do lado tinha outra opção o V***. Olhei bem para aquela coisa em minhas mãos... Pensei, pensei... E como tinha escrito "passe adiante" repassei logo, sem achar a menor graça daquilo.
Depois de chegar até o último aluno da sala o malfadado bilhete voltou a mim para eu repassar de volta. Aí veio um ímpeto de revolta e coragem dentro de mim, e no bilhete escrevi um recadinho: "Eu sei que é difícil prestar atenção à aula, mas se fosse com um de nós será que acharíamos engraçado? Eu penso que não..." E repassei o bilhete com coragem!
Já li em um livro que coragem não é não temer, é temer, mas mesmo assim agir. E devo dizer que temi, por mais bobinho que fosse aquilo eu estava tomando o partido do professor e entre alunos isso é muito velado... Mas eu, sinceramente, detesto quando fazem algo do tipo comigo, e sei que qualquer um detestaria. Não sou a rainha da cocada preta, mas sei o que me ofende, e procuro não fazer o mesmo a outrem.
Devemos ser mais conscientes...

4 comentários:

Me disse...

Há situações que exigem de nós um pouco mais de espírito humorístico, mas, sinceramente, no que diz respeito a atitudes como essas, eu tomaria o partido do "atacado", seja um professor, um aluno ou quem quer que seja. Valeu pela ousadia! beijos,

Malafaia disse...

é... tb procuro não fazer com outros aquilo q não gosto q façam comigo... eu não li num livro, mas vi na novela ontem (noveleira, rs) q "coragem não é ter medo, mas é enfrentar o medo"... porntanto, acho q não sou corajosa, hehehe... VLW, Beca!

Filipe disse...

Achei muito interessante este post, Rebeca! Realmente, dificilmente temos coragem de fazer a coisa certa, e eu, como professor, sei o quanto é chato estar na frente de uma sala de aula, se esforçando para passar um conteúdo, enquanto alguns alunos não estão nem aí.

Vera disse...

Imagine a minha opinião, já que sou professora tbm!hahahahahaha
Muito bem!!!
Fez bem em defender o "fessô"...
Bjo!